Home Política2022 Styvenson reafirma que pode concorrer ao governo do RN em 2022

Styvenson reafirma que pode concorrer ao governo do RN em 2022

Por AdrianoSantos
0 comentário 73 visualizações

O senador diz que possível candidatura depende apenas da vontade do povo e que governo petista é fracassado e inoperante

“Eu nunca falei diferente sobre a possibilidade de concorrer ao governo do Estado. Agora, não depende só de mim. Depende da população, do eleitor”. Essa foi a declaração do senador Styvenson Valentim (Podemos), sinalizando a possibilidade de lançar o seu nome na disputa contra a reeleição da governadora Fátima Bezerra (PT), pela cadeira do Executivo Estadual nas eleições de 2022.
Segundo o senador, “se o povo quiser, é claro que vou lançar o meu nome na disputa pelo governo. Mas, essa vontade não parte só de mim. Para que eu entenda que existam condições para fazer o que penso ser o correto para o nosso Estado, não depende de deputados, alianças, acordos políticos, partidos, depende apenas da população do RN”, enfatizou.

O nome do senador Styvensaaon Valentim tem aparecido em várias pesquisas de intenção de votos dos potiguares para as eleições do ano que vem, para ocupar o cargo de governador do Estado. “Eu vou fazer o quê, se o povo quiser que eu seja o governador? Como desejaram em 2018 (que eu fosse senador). Eu me escondi? Não. Eu tive como evitar? Não. Foi inevitável. Foi o povo quem quis”, ressaltou Styvenson.

Em entrevista exclusiva ao jornal Blog, nesta quinta-feira 9, o senador explicou que vai, “aproveitar essa grande aceitação, como foi em 2018, porque eu não vou usar dinheiro público, TV, não terei apoio político (para me eleger). Eu vou ficar praticamente sozinho. Então se eu não for caminhar com o povo, nem adianta (sair candidato)”.

O parlamentar quer colocar o Estado nos eixos, “acabar com esse vício político de anos, onde o RN vem sendo saqueado pelos mesmos políticos. Quero tirar o nosso Estado dessa dependência, desse parasitismo, não é para qualquer um, não”, declarou. E explicou que, embora pretenda conversar com políticos que querem o bem em comum do Estado, a aliança dele é com o eleitor, “se o povo quiser votar em mim, que o faça”.

E sugeriu que a sociedade potiguar pesquise, investigue a vida de cada um dos parlamentares eleitos, puxe ficha e histórico de cada um, “porque é incrível alguns veículos de imprensa não divulgam coisas positivas do meu mandato. Cito aqui o envio R$ 30 milhões para a construção de uma unidade da Liga Norte-Riograndense contra o Câncer, a ser construído no Seridó, que irá beneficiar milhares de potiguares da Região, mas poucas linhas sobre o assunto foram divulgadas”.

E continua, “sem falar que a governadora Fátima Bezerra segue sem licitar a obra da reforma do Hospital Regional Tarcísio Maia. São 12 milhões que já estão na conta do Estado”.

“Governo fracassado”

Segundo o senador, a gestão petista no Estado é uma inércia, inoperância, incompetência, má vontade política de um governo fracassado, “por não ter agilidade para fazer uma licitação ou uma reconstrução de um hospital, porque dinheiro tem, e está na conta do Estado”, enfatizou.

Ele explica que, desde que entrou para a política, assumindo o mandato de senador, tem escutado todos que querem fazer o bem e o melhor para o Estado, mas para fazer o que realmente tem que ser feito, nem todos têm a coragem, determinação, foco e desapego necessários. “Nem todo mundo tem a coragem de ‘meter a mão’ na caixa de privilégios e vícios políticos, de fiscalizar contratos misteriosos, por onde dinheiro público é constantemente saqueado”, denunciou.

Para Styvenson, “coisas como essas estão acabando com nosso o Estado, então para ter pulso, coragem, sangue nos olhos para mudar muita coisa errada, não é qualquer político, não. Por isso que eu digo: quem vai decidir sobre uma possível candidatura minha será o povo potiguar. Não serão acordos políticos ou partidários que vão me dar essa força, não”, disse.

Denúncia

Segundo o senador Styvenson Valentim, mais uma obra que aguarda licitação, e com R$ 6 milhões já liberados, é a reconstrução da Escola Maria Ilka de Moura, no Bom Pastor. A escola atende mais de mil alunos, mas falta a licitação. “Será que estão protelando a obra para que o crédito não seja dado ao senador Styvenson? Espero que não, ou a governadora, que é educadora, não consegue ver a importância desta grande obra para aquela comunidade tão sofrida?”, questionou.

Segundo o senador, “o dinheiro já está liberado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), aguardando apenas a licitação, que deve ser feita pelo Governo do Estado”, esclareceu.

“Já falei com o secretário de Infraestrutura, de Educação, falei até com o secretário de Tributação do RN, Carlos Eduardo Xavier. Pedi para todo mundo, mas para fazer uma simples licitação com tudo pronto, sem nada pendente, falta apenas a licitação e não é feita. Ou é muita incompetência e mesquinharia ou má vontade de ajudar as pessoas que moram naquela comunidade. Eu espero que seja incompetência mesmo e não perseguição política”, disse.

Related Articles

Deixe um comentário