Sindicato faz protesto contra o retorno da aulas presenciais em Natal e por reajuste salarial

Fátima Bezerra apresenta instalações do Complexo Cultural da Rampa ao ministro do Turismo
12 de julho de 2021
Esposa de DJ Ivis expõe espancamentos do marido em vídeos nas redes sociais; CENAS FORTES
12 de julho de 2021

Sindicato faz protesto contra o retorno da aulas presenciais em Natal e por reajuste salarial

Ouça a matéria aqui!

Representantes dos professores da rede municipal de educação de Natal irão fazer um protesto de forma presencial na manhã desta segunda-feira 12. O ato está previsto para acontecer a partir das 8h30, na frente da sede da Prefeitura. O Blog entrou em contato com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (SINTE/RN) e questionou sobre o ato e o diretor de comunicação do sindicato, Miguel Salusto, informou que o protesto será com um carro de som e dois diretores.

A categoria reivindica, além da conclusão da vacinação contra a Covid-19 para os professores, um reajuste de 12,84% referente ao piso salarial que deveria ter sido implantado em janeiro de 2020. Até o momento, 100% dos trabalhadores da educação foram vacinados, porém, a maioria não concluiu o esquema vacinal com a segunda dose.

“Nós conseguimos concluir o ano de 2020 no modelo remoto de ensino. Esse reajuste é legal e a Prefeitura não cumpriu, tem negociado com a categoria, por isso vamos votar um indicativo de greve no próximo dia 14, data prevista para retorno das aulas presenciais. Hoje, a categoria não está com a imunização concluída, isso pode gerar riscos de contraírem o vírus“, disse.

Na próxima quarta-feira 14, a categoria vai se reunir para definir sobre uma paralisação, que vai suspender os trabalhos que ainda nem foram retomados, até que haja uma negociação com a gestão municipal – e também, até que seja concluída a vacinação da categoria.

Em contato recente com Secretaria de Educação de Natal, a reportagem apurou que a pasta só vai se pronunciar quando o indicativo de greve entrar em vigor. Porém, há informações de que a Prefeitura vai recorrer judicialmente, caso a greve seja iniciada.

Visualizações: 85

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *