Secretaria de Saúde investiga mais dois casos suspeitos da variante delta em Natal

Ex-secretário da Copa nega irregularidades ou sobrepreços no contrato da Arena das Dunas
1 de setembro de 2021
Desemprego fica em 16,4% no RN e atinge 238 mil pessoas no trimestre encerrado em junho, aponta IBGE
1 de setembro de 2021

Secretaria de Saúde investiga mais dois casos suspeitos da variante delta em Natal

Ouça a matéria aqui!

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS) informou nesta terça-feira (31) que investiga mais dois casos suspeitos da variante delta do coronavírus na capital potiguar.

Atualmente, Natal tem três casos confirmados (os únicos três do RN), sendo dois com possível contágio em viagem e um caso de contaminação local. Por isso, a transmissão comunitária da variante já foi confirmada após um rastreamento feito dos casos confirmados.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, está sendo feito um sequenciamento genético das amostras nasofaríngeas das pacientes, que seguem sob monitoramento da Vigilância Epidemiológica de Natal.

Preocupada com a confirmação da transmissão comunitária e com um “discreto” aumento no número de solicitações de internação na rede privada do RN, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) se reuniu recentemente com representantes regionais da saúde para discutir sobre a chegada da variante delta.

“A solicitação por leitos privados tem alguns pontos importantes que podemos avaliar. Um deles é esse trajeto já percorrido anteriormente [nas duas ondas anteriores] que precisamos estar atentos para que possamos combater uma possível nova onda da pandemia”, disse Lyane Ramalho, subsecretária de Planejamento e Gestão da Sesap.

Casos confirmados

Os dois primeiros casos foram confirmados no dia 24 de agosto pelo Instituto de Medicina Tropical (IMT) da UFRN. Uma das das pacientes é uma mulher de 57 anos, que está internada em Natal. Ela teve o caso confirmado no dia 8 de agosto e não tem histórico de viagem. Foi por ela que se identificou que há transmissão comunitária na capital. A mulher não estava vacinada.

A segunda diagnosticada foi uma mulher de 32 anos que chegou de viagem de Santa Catarina e também não estava vacinada. Ela cumpriu isolamento em casa e não precisou ser internada.

O terceiro caso foi confirmado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), de um homem, que teve contato com essa mulher de 32 anos e tinha tomado a primeira dose da vacina. Ele está em boas condições clínicas e não precisou da internação. Os sete colegas de trabalho da sala dele, todos vacinados com as duas doses, não foram infectados com o vírus.

Estudos recentes vêm apontando que a variante delta do coronavírus é muito mais transmissível e tem maior probabilidade de evadir o sistema imunológico, responsável pelas defesas do nosso organismo.

Visualizações: 104

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *