Retirada de outdoor contra Bolsonaro é vista como ataque à liberdade de expressão

Seca atinge metade dos municípios do Rio Grande do Norte em 2021
25 de junho de 2021
Lula tem 49% dos votos totais e venceria em 1º turno, diz pesquisa do Ipec
25 de junho de 2021

Retirada de outdoor contra Bolsonaro é vista como ataque à liberdade de expressão

DNIT justificou dizendo que as placas estavam irregulares - Foto

Ouça a matéria aqui!

Na quarta-feira 23, outdoor foi instalado no município, com críticas ao presidente da República, mas terminou sendo retirado à noite, provocando revolta em políticos e sindicalistas. Eles denunciam que outras placas, com elogios a Jair Bolsonaro não foram alvo da ação do DNIT e permaneceram lá, durante a visita da comitiva presidencial

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) visitou o Rio Grande do Norte nesta quinta-feira 24 e liberou recursos para obras como a Barragem de Oiticica e o Ramal do Apodi. A agenda causou polêmica antes mesmo da chegada do chefe do Executivo às terras potiguares.

Na quarta-feira 23, foi instalado em Pau dos Ferros, município que recebeu a visita do presidente, um outdoor com críticas a ele e à atuação do governo federal durante a pandemia da covid-19. A “recepção” organizada pelos opositores também incluiu faixas espalhadas na cidade.

Porém, durante a noite de quarta, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) derrubou um outdoor com os dizeres “Cemitérios cheios, geladeiras vazias”, que também apresentava uma foto do presidente gargalhando e a hashtag #PauDosFerrosÉForaBolsonaro. O outdoor foi assinado por entidades sindicais.

Outros outdoors, no entanto, não foram retirados – estes continham dizeres e palavras de apoio ao presidente da República, de acordo com denúncias de populares e sindicatos.

Em nota enviada ao Agora RN, o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do RN (SindSaúde-RN), que participou do protesto contra Bolsonaro, classificou a atitude como um ataque ao direito de liberdade de expressão. “Esse é mais um ataque do presidente à liberdade de expressão do povo brasileiro, sobretudo aos trabalhadores da saúde que já não aguentam mais esse governo que só causa mortes e repressão”.

“A placa fez parte de uma das ações contra a visita a Pau dos Ferros e foi elaborada de forma conjunta entre a direção do Sindsaúde, que representa o município, Aduern [Associação e Docentes da UERN], Sindifern [Sindicato dos Auditores Fiscais do RN] e Sinte [Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN]. Enquanto isso, o outdoor instalado na mesma cidade em apoio ao presidente permaneceu intacto e sob vigilância. O Sindsaúde repudia veementemente essa ação bárbara e truculenta que fere diretamente o direito à manifestação dos trabalhadores. Não vamos nos calar”, diz o comunicado.

Lucila Lacerda, representante da diretoria do Sindsaúde regional e estadual, contou que recebeu a notícia com surpresa, mas que não ficou triste com a retirada do outdoor. “Ele repercutiu muito mais no chão do que em pé. Atingimos nosso objetivo, que era chamar atenção”, declarou.

Questionado pela reportagem, o DNIT justificou a ação com o Código de Trânsito Brasileiro. “Todas as placas de publicidade na faixa de domínio do segmento da BR-405 estão instaladas de maneira irregular e serão removidas, independentemente do teor das mensagens contidas, para atender o disposto no Código de Trânsito Brasileiro, instituído pelo Artigo 83, da Lei nº 9.503/97, o qual preconiza que a afixação de publicidade ou de quaisquer legendas ou símbolos ao longo das vias condiciona-se à prévia aprovação do órgão ou entidade com circunscrição sobre a via”.

Ainda de acordo com o DNIT, as publicidades quando implantadas em faixa de domínio, sem prévia análise técnica, podem prejudicar a visibilidade da sinalização rodoviária, ocasionando prejuízos à segurança de tráfego. O órgão ainda afirmou que foi designada uma equipe da empresa responsável pela manutenção da rodovia para retirar todos os outdoors instalados ao longo da BR-405. No entanto, o serviço foi suspenso durante a quinta-feira 24 para evitar tumultos de qualquer natureza que possam comprometam a “integridade física dos profissionais da empresa responsável”.

Aglailton Fernandes, membro da direção estadual do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST-RN), indicou que os dizeres contidos no outdoor retirado pelo DNIT representam a realidade dos brasileiros. “O governo está empenhado em colocar as instituições para coibir qualquer tipo de manifestação. Achamos isso muito preocupante, porque as instituições do nosso país têm muitas tarefas para resolver, mas estão deixando de lado para atuar por posição ideológica do presidente”, frisou.

“Repudiamos esse tipo de ação e vamos continuar denunciando o drama das famílias brasileiras. Toda manifestação, que seja de qualquer espaço democrático, tem que ser respeitada e não ser coibida. Expressamos nossa solidariedade aos trabalhadores do município de Pau dos Ferros, que tem perdido suas famílias, e que estão sendo proibidos de expressar sua dor em forma de protesto”, reforçou Aglailton.

A retirada do outdoor repercutiu nacionalmente. A jornalista d’O Globo, Vera Magalhães, ampliou a discussão na coluna que assina no jornal. “A equipe de fiscais do DNIT na noite de quarta-feira viajou 400 km, a partir de Natal, para retirar os cartazes”, escreveu.

“A visita do presidente também levou a prefeita da cidade, Marianna Almeida, que é do PSD, partido do ministro das Comunicações, Fábio Faria, mas aliada da governadora petista Fátima Bezerra, a soltar uma nota pública dizendo que a prefeitura não é responsável pelo evento com a presença do presidente nem pela aglomeração que ele certamente provocaria”, continuou Vera Magalhães. O portal Poder360 também publicou reportagem sobre o acontecimento.

“DNIT capanga do presidente”

A vereadora de Natal Brisa Bracchi (PT) criticou a retirada do outdoor contrário ao presidente em Pau dos Ferros. Ao Agora RN, a parlamentar afirmou que “é um absurdo que o DNIT, um órgão da administração pública federal, se preste ao papel de ser capanga de uma pessoa, o presidente, ao derrubar um outdoor de protesto”, assegurou.

“O que aconteceu em Pau dos Ferros é mais uma mostra que Bolsonaro usa das estruturas pagas pelo dinheiro público para benefício próprio. O que ele vem fazer nessas visitas é apenas aglomeração sem máscara e comício pago com dinheiro do povo”, criticou a parlamentar.

Robério Paulino (PSOL), também vereador de Natal, protestou contra a ação do órgão. “DNIT, para proteger Bolsonaro, tirou o outdoor. Mas não adiantou tapar o sol com peneira porque virou um fato nacional, a repercussão foi maior ainda. O protesto, a indignação contra Bolsonaro, cresce no RN assim como cresce no resto do País. Ele não é bem-vindo no Rio Grande do Norte”, disse.

A deputada estadual Isolda Dantas (PT) questionou a situação no Twitter. “Bolsonaro além de genocida é ditador. Matou 500 mil e o restante da população tem que ficar calada?”, escreveu.

Protesto

A cidade de Pau dos Ferros registrou, ainda durante a manhã de quinta-feira 24, um protesto contra o presidente com um número reduzido de pessoas. “Estamos na luta. Fizemos o protesto no centro, rodeados de polícia. Não sei porque esse medo todo da gente. O tempo todo sob pressão, mas não arredamos”, relatou Lucila Lacerda, do Sindsaúde.

Visualizações: 37

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *