PM terá força-tarefa contra participação ilegal em atos pró-Bolsonaro

Deputado sugere programa de reabilitação pós-covid no RN
30 de agosto de 2021
Decreto de Bolsonaro para alunos com deficiência é retrocesso de 30 anos, diz pedagoga da Unicamp
30 de agosto de 2021

PM terá força-tarefa contra participação ilegal em atos pró-Bolsonaro

Ouça a matéria aqui!

A Corregedoria da Polícia Militar de São Paulo determinou que todos os policiais militares –incluindo os de folga e da área administrativa –deverão trabalhar durante os atos pró-Bolsonaro previstos para o feriado de 7 de setembro.

A medida para “reforçar o patrulhamento disciplinar” e impedir a presença ilegal de militares na Avenida Paulista, foi anunciada ao Ministério Público de São Paulo.

Deputados alinhados ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) defenderam a presença de policiais militares nas manifestações. Nas redes sociais, mensagens compartilharam a organização de dezenas desses profissionais em ônibus e vans para participar dos atos em São Paulo.

Os promotores do Tribunal de Justiça Militar, Marcel Del Bianco Cestaro e Giovana Ortolano Guerreiro, pediram que a Corregedoria informasse se estava fazendo “apurações de inteligência” para detectar a participação de policiais da ativa nos atos.

A manifestação convocada pelo presidente prega a ruptura institucional, a adoção do voto impresso e o impeachment dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

O QUE DIZ O REGULAMENTO MILITAR

O Regulamento Disciplinar da Polícia Militar de São Paulo define o comparecimento de policiais uniformizados em manifestações ou reuniões de caráter político-partidário, salvo por motivo de serviço, como uma transgressão de grau médio.

A lei complementar nº 893/2001 ainda proíbe que os militares da ativa manifestem-se sobre cunho político-partidário. Os militares da reserva, por outro lado, têm permissão para fazê-lo.

Visualizações: 89

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *