Mourão pede “pacificação” para Igreja Universal em Angola e Edir Macedo vira alvo de bolsonaristas

Vídeo: Simone Tebet diz que CPI da Covid mostrou a misoginia na prática
18 de julho de 2021
Michelle publica vídeo ao lado de Bolsonaro após notícia sobre crise no casamento
19 de julho de 2021

Mourão pede “pacificação” para Igreja Universal em Angola e Edir Macedo vira alvo de bolsonaristas

Ouça a matéria aqui!

Voltando neste domingo (18) da viagem a Angola, o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) deve prestar contas sobre o que obteve para tentar a “pacificação” entre o governo local e a Igreja Universal do Reino de Deus, de Edir Macedo, que está sendo acusado em grupos bolsonaristas de incitar reportagens negativas contra o governo por estar descontente com a postura de Bolsonaro frente à questão que enfrenta no país africano.

Em entrevista à Agência Lusa, Mourão sinalizou que o tema fez parte do encontro bilateral que teve com o presidente do governo de Angola, João Lourenço, na sexta-feira (16).PUBLICIDADE

“O Governo brasileiro gostaria que se chegasse a um consenso entre essas duas partes e que aqui o Estado angolano recebesse a delegação parlamentar brasileira que quer vir aqui para tentar chegar a um acordo e a um ponto em que se arrefeça as diferenças que ocorreram”, disse Mourão.

O vice-presidente afirmou ainda que a questão criou um problema “no plano espiritual”, mas também “no plano político” e que, por isso, é preciso procurar “uma pacificação, apesar de não ser um assunto” que envolva diretamente o Governo brasileiro.

“Essa questão da Igreja Universal aqui é uma questão que afeta o Governo e a sociedade brasileira pela penetração que essa igreja tem e pela participação política que ela possui [no Brasil], com um partido que é o Partido Republicano, que representa o pessoal da Igreja”, disse Mourão, que representou o Brasil na XIII Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Luanda.

Record
No Brasil, o único veículo da mídia liberal que repercutiu a visita de Mourão foi a TV Record, de Edir Macedo, que virou alvo de críticas em grupos bolsonaristas.

Apoiadores do presidente acusam Edir Macedo de incitar reportagens com ataques ao governo para pressionar Bolsonaro a agir em defesa da igreja em Angola.

“Edir Macedo está enfrentando um problema delicado, e deseja que Bolsonaro o resolva”, diz texto compartilhado em grupo bolsonarista no Telegram.

Visualizações: 54

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *