Home Sem categoria Para ABIH-RN, recuperação do turismo deve acelerar a partir da 2ª quinzena de setembro

Para ABIH-RN, recuperação do turismo deve acelerar a partir da 2ª quinzena de setembro

Por AdrianoSantos
0 comentário 0 visualizações

Apesar do prejuízo de mais de R$ 395 bilhões trazido pela pandemia ao turismo nacional, a perspectiva para o futuro é otimista. O processo de recuperação já começou, e isso foi observado também no Rio Grande do Norte, onde a taxa média de ocupação dos hotéis ficou em 60% no feriadão de 7 de setembro. Como um termômetro, o fluxo no último final de semana dá sinais de que o próximo grande feriado, em 12 de outubro, que cai novamente em uma terça-feira, pode representar mais um crescimento de até 10% do fluxo de turistas no estado.

A prospecção é do presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Rio Grande do Norte (ABIH-RN), Abdon Gosson, que espera “um crescimento, a partir de agora, gradual e constante; cada dia melhor, para que a gente possa se recuperar o mais rápido possível”. O otimismo de Gosson é alicerçado sobre vários pontos, como o avanço da vacinação, a diminuição do número de casos da covid-19 no Brasil todo, o retorno da capacidade de compra de uma parcela da população e o fato dos brasileiros estarem mais voltados para o turismo nacional neste momento.

“A expectativa é de que tenhamos uma maravilhosa alta estação, já que o mundo está começando a se abrir a partir de agora. Na próxima estação, até o carnaval, muitos brasileiros ainda estarão aqui muito fortemente fazendo turismo dentro do Brasil”, destaca.

De acordo com Gosson, o setor está esperando que essa tendência de crescimento comece a ser sentida mais fortemente a partir da segunda quinzena de setembro, o que já beneficiaria o setor para o feriado de 12 de outubro. Segundo ele, esta expectativa já está se confirmando com reservas prévias para esta data. “Isso mostra que as pessoas estão começando a se programar com antecedência”, destaca ele, pontuando uma mudança de comportamento dos turistas durante a pandemia.

“Temos um turismo regional muito forte hoje, o que faz com que as pessoas só façam reserva com dois ou três dias de antecedência”. Apesar dos avanços ainda controlados de variantes do coronavírus, o histórico nacional com a imunização vacinal fortalece a confiança de Gosson, para quem o Brasil tem todas as chances de “lograr êxito neste momento de recuperação”.

Ainda não há muito o que comemorar

Um hotel para pagar seus custos precisa estar com uma taxa de ocupação em torno de 45%. Dessa forma, percentuais como o do feriadão de 7 de setembro (em torno de 60%) dão um respiro, mas ainda não são sufi cientes para compensar o período mais crítico da pandemia.

“Veja que a gente está na recuperação ainda. Em um setor que passou de 7 meses a 1 ano parado, existe um prejuízo acumulado. O próprio Ministério do Turismo tem expectativa de que o setor só vá se recuperar totalmente a partir do final de 2022, com alguns segmentos só em 2024”, avalia Gosson. Para o Rio Grande do Norte, a atividade turística é a maior geradora de emprego. São mais 120 mil empregos diretos, além dos indiretos e terceirizados.

Related Articles

Deixe um comentário