Lula se reunirá com embaixador russo para discutir vacinação e Sputnik V

CNH Digital substitui mesmo o documento oficial? Veja como se cadastrar
maio 4, 2021
“Bolsonaro insultou grande parte do mundo”, diz reportagem do Washington Post
maio 4, 2021

Lula se reunirá com embaixador russo para discutir vacinação e Sputnik V

Ouça a matéria aqui!

Em visita à capital federal, onde ficará instalado em um hotel por alguns dias, o ex-presidente Lula irá se encontrar com o embaixador russo Alexey Kazimirovitch Labetskiy para discutir a vacinação no Brasil e a Sputnik V, imunizante russo que não teve o uso aprovado no país pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O ex-chanceler Celso Amorim, organizador do encontro e que estará presente na reunião, também tentará uma conversa com o representante da China, Yang Wanming, país que tem fornecido parte do IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) necessário para a fabricação de vacinas ao Brasil.

Relacionadas

No encontro com o embaixador russo, Lula deve pedir mais informações do Fundo Russo para a aprovação da Sputnik V pelo órgão sanitário. “Ele entende que o melhor caminho será entregar todos os documentos que possam basear uma aprovação. Caso seja reprovado uma segunda vez, aí o partido acusará a Anvisa de fazer política”, explicou um integrante do PT.

Fernando Haddad (PT), ex-candidato à presidência em 2018, deverá estar presentes em outros encontros. Os petistas também pretendem se reunir com políticos, como o ex-senador José Sarney, para debater a criação de um novo auxílio emergencial de R$ 600 aos mais pobres.

Em nota divulgada mais tarde, o ministério das Relações Exteriores e o ministério da Saúde divulgaram que acompanham o diálogo entre o fundo russo e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para buscar uma solução sobre os envios dos documentos para o pedido de importação ou a solicitação de uso emergencial. Na semana passada, a agência vetou as duas medidas.

PT de olho

O périplo do presidente também servirá para tentar filiar o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) ao PT. O parlamentar tem feito duras críticas ao governo federal, sob a gestão de Jair Bolsonaro (sem partido), o que tem chamado a atenção de petistas.

Por questão de “segurança” e para evitar manifestações de grupos bolsonaristas, a assessoria do PT e do ex-presidente Lula evitou divulgar as agendas dos petistas em Brasília.

O relator da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), porém, não irá se encontrar com o ex-presidente Lula para evitar ataques de grupos bolsonaristas.

O ex-presidente se tornou elegível em abril, quando o STF (Supremo Tribunal Federal) manteve a decisão da Segunda Turma que anulou as decisões do ex-juiz Sérgio Moro contra o petista. Lula decidiu dividir a pré-candidatura de 2022 com o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

Visualizações: 25

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *