Home Sem categoria Israel prevê necessidade de 4ª dose de vacina contra covid-19

Israel prevê necessidade de 4ª dose de vacina contra covid-19

Por AdrianoSantos
0 comentário 5 visualizações

O governo de Israel está se preparando para a possibilidade de uma 4ª dose das vacinas contra covid-19. O diretor geral do Ministério da Saúde, Nachman Ash, afirmou no domingo (12.set.2021) que o governo está trabalhando para ter um estoque de imunizantes, já que a imunidade pode cair com o tempo.

Não sabemos quando isso vai acontecer. Espero muito que não seja dentro de 6 meses, como agora, e que a 3ª dose dure mais tempo”, disse em entrevista à Rádio 103FM, uma emissora israelense. “Estamos começando a nos preparar para termos estoques de vacinas, se necessário.

Israel começou a aplicar a 3ª dose em agosto para a população de forma geral. Foi o 1º a oferecer uma dose de reforço contra a covid-19, ainda em julho para adultos com sistema imunológico enfraquecido.

Israel utiliza a vacina da Pfizer em sua campanha de imunização. Até o momento, imunizou 2,8 milhões com a 3ª dose, segundo dados do Ministério da Saúde do país até a manhã desta 2ª feira (13.set).

Nachman Ash não citou dados que indicariam a necessidade de uma 4ª dose. Para a aplicação da 3ª, Israel afirmou que a eficácia do imunizante da Pfizer contra a doença caiu para 64% em julho. Em maio, era de 95%. Além disso, o país registrou um aumento de novos casos da doença em junho, causados principalmente pela chegada da variante Delta ao país.

A necessidade de uma 4ª dose também já foi citada no Brasil, mas apenas pelo governo do Estado de São Paulo. Segundo o Comitê Científico do Estado, a medida está sendo estudada para pacientes transplantados que não apresentaram resposta imune adequada ao coronavírus.

O Brasil já começou a aplicação da 3ª dose da vacina contra covid-19. Em São Paulo, o reforço começou em 6 de setembro e o Rio de Janeiro começou a aplicação nesta 2ª feira (13.set).

Enquanto a possibilidade de uma 4ª dose é estudada e especulada, a vacinação com a 3ª dose ainda é controversa. Cientistas afirmam que o reforço não é necessário para a população geral, apenas para os mais idosos e imunossuprimidos.

Em 2 de setembro, a EMA (Agência Europeia de Medicamentos) afirmou que as vacinas utilizadas na Europa -Pfizer, Moderna, Janssen e AstraZeneca –são “altamente protetoras” e não precisam de um reforço no momento.  Essa também é a opinião de Sarah Gilbert, a cientista que liderou o desenvolvimento da vacina AstraZeneca.

Related Articles

Deixe um comentário