“Europeus não vão parar de importar do Brasil”, diz Bolsonaro

Políticos criticam fala de Guedes sobre Fies; beneficiários agradecem por programa
abril 30, 2021
Bolsonaro ameaça acabar com escolas de Sem Terrinhas em live
abril 30, 2021

“Europeus não vão parar de importar do Brasil”, diz Bolsonaro

Ouça a matéria aqui!

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta 5ª feira (29.abr.2021) que os países europeus não deixarão de importar commodities do Brasil como reação a suas falas sobre o meio ambiente. Deu a declaração em transmissão ao vivo semanal feita em suas páginas oficiais nas redes sociais.

Quando alguns falam:´Cuidado com o que você está falando, porque esse país pode não importar soja, commodity tua´. Não vai acontecer, pois eles precisam mais do que nós. Se não importarem soja nossa, fica quase impossível esse país sobreviver com o preço da soja tão alta”, disse.

Bolsonaro ainda declarou que um dia poderia ser criada a “OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) da soja”, ou seja, uma organização de países que controlam a produção e o preço da commodity.

Quem sabe um dia seria até bom, quem sabe, nós criarmos a OPEP da soja no Brasil. Eu sou daquele tempo dos anos 70, do choque do petróleo. Lembro que o preço da gasolina era uma coisa insignificante. De repente, em 2 momentos, foi lá para cima e está até hoje. Será que não podemos fazer a mesma coisa com certas commodities?”, disse.

O presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio), o delegado da Polícia Federal Marcelo Augusto Xavier, participou da live desta 5ª. Além dele, Bolsonaro convidou indígenas que defendem a exploração e o desenvolvimento de suas terras.

Você vê a Europa tão preocupada com índio, Amazonas, desmatamento, focos de incêndio, presta atenção se há discriminação ou não. A Europa compra o que vocês [indígenas] produzem lá ou não?”, perguntou Bolsonaro a um dos convidados da transmissão.

Na live, Bolsonaro disse que lamenta as mortes por covid-19 no Brasil. Deu rápida declaração sobre o assunto horas depois de o Brasil ultrapassar a marca de 400 mil perdas. Foram pelo menos 401.186 vítimas no país até as 18h, de acordo com o Ministério da Saúde.

Lamentamos as mortes. Chegou a um número enorme de mortes agora aqui, né?”, disse em transmissão ao vivo semanal feita em suas páginas oficiais nas redes sociais.

Visualizações: 30

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *