Home MundoTerrorismo Homem joga bomba no Consulado da China no Rio de Janeiro

Homem joga bomba no Consulado da China no Rio de Janeiro

Por AdrianoSantos
0 comentário 5 visualizações

Polícia Civil investiga o caso; OAB divulgou nota de repúdio sobre o ato.

Um homem jogou uma bomba no prédio do Consulado da China no Rio de Janeiro na noite de 5ª feira (16.set.2021). O atentado se deu às 21h48, e foi registrado por câmeras de segurança. De roupas pretas, ele pega o artefato do bolso e arremessa em direção ao edifício. Não houve feridos.

A 10ª Delegacia de Polícia Civil do Rio de Janeiro, em Botafogo, é a responsável pelas investigações. Foram feitos exames periciais pelo Instituto de Criminalística e pelo Esquadrão Antibomba. Segundo a corporação, agentes requisitaram e analisam imagens de câmeras de monitoramento que registraram a ação para identificar o autor.

A polícia também está ouvindo testemunhas do caso. Até a publicação desta reportagem, a Embaixada da China no Brasil não havia se manifestado.

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) divulgou uma nota de repúdio sobre o ocorrido. O documento é assinado pelo presidente da entidade, Felipe Santa Cruz, e por representantes de órgãos internos, como a Coordenação Nacional das Relações Brasil-China e a Comissão Especial Brasil/ONU de Integração Jurídica e Diplomacia Cidadã. Leia a íntegra da nota (46 KB).

A OAB considerou o ato como uma agressão ao Estado chinês, e ressaltou que representações da China em outros locais do Brasil também se tornaram alvos de “ameaças e atitudes xenofóbicas, sobretudo após o advento da pandemia da covid-19”.

“Tais condutas são inadmissíveis e podem macular as relações diplomáticas entre o Brasil e a China, cuja parceria mostra-se profícua e extremamente importante para o desenvolvimento de ambos os países e para o estreitamento de laços respeitosos de amizade que ultrapassam os contextos culturais e econômicos”.

A entidade também disse esperar que as autoridades brasileiras “empenhem esforços” e realizem ações preventivas “para inibir que tais atos sejam repetidos”.

Related Articles

Deixe um comentário