Governo discute manutenção da RN-404 em reunião com setor salineiro

Covid-19: Senado aprova projeto que permite quebra de patentes para produzir vacina
abril 30, 2021
Governo do RN entrega mais de 1000 cestas básicas para setor turístico de Tibau do Sul
abril 30, 2021

Governo discute manutenção da RN-404 em reunião com setor salineiro

Ouça a matéria aqui!

Em reunião virtual com empresários da indústria salineira e gestão municipal de Porto do Mangue, o Governo do Rio Grande do Norte discutiu, nesta quinta-feira (29), parceria com o setor privado e anunciou manutenção da RN-404, importante rodovia para tráfego produtivo da região.

A governadora Fátima Bezerra disse que a intenção real da gestão é promover uma restauração da malha rodoviária estadual, em especial daquele setor, por reconhecer a precariedade das estradas.

“Essa foi mais uma das heranças que recebemos. Eu tenho estado atenta a isso e não vou sossegar enquanto a gente não conseguir um financiamento robusto para grande investimento na malha rodoviária do Rio Grande do Norte”, declarou, avisando que dadas as condições orçamentárias, o foco será nos principais trechos, a fim de garantir a segurança da população e o escoamento das principais cadeias produtivas do estado.

Desse modo, devem ser priorizados com reparos emergenciais os trechos Carnaubais – Porto do Mangue (16 quilômetros) e Carnaubais – Assu (29 quilômetros), sendo analisada também a rota Porto do Mangue – Ponta do Mel (27 quilômetros).

O encontro foi intermediado pelos deputados estaduais Isolda Dantas e Souza e contou com os empresários: Davi Alves, da Maranata Salineira; Riva Holanda, da Refinaria Sal Garça; Frediano Rosado e Gregório Jales, representando a Socel; e Edmur Rosado, da Porto Sal.

Ainda contribuíram o prefeito Sael Melo; o secretário de Gestão de Porto do Mangue, Flávio Souza; e os vereadores Juscelino Gregório e Izidro Júnior.

Da equipe do Governo, participaram das decisões a secretária-adjunta do Gabinete Civil, Socorro Batista, e o diretor-geral do Departamento de Estradas e Rodagens (DER), Manoel Marques, que apontou erros na construção das vias, mas garantiu assistência.

“No Vale do Açu, as gestões que nos antecederam cometeram erros com eventuais danos ambientais. O primeiro foi a estrada de Porto de Mangue à Ponta do Mel em uma área sujeita a inundações; posteriormente foram feitas duas estradas, Vila do Alemão – Pendências, onde alguém resolveu construir uma estrada atravessando um vale quando deveria ser uma ponte; para completar a estrada que liga Porto do Mangue à Ponta do Mel e foi paga com recursos do Idema à época”, contextualizou o engenheiro.

Socorro Batista sugeriu que o DER apresente planilha de custos aos empresários em novo encontro para que a partir de então sejam definidas as parcerias. “O que o setor já tem que pode ser incorporado a esse trabalho, maquinário, mão de obra?”, apontou.

Visualizações: 34

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *