Governo discute implantação de polo cloroquímico no Rio Grande do Norte

Instalação da CPI da Covid é adiada por falta de quórum na Assembleia Legislativa do RN
15 de julho de 2021
Chefe de facção criminosa em município do RN é preso na Paraíba
15 de julho de 2021

Governo discute implantação de polo cloroquímico no Rio Grande do Norte

Ouça a matéria aqui!

Uma proposta de criação do Polo Cloroquímico do Rio Grande do Norte levou o governo do estado a criar um grupo de trabalho para discutir o tema.

O projeto prevê a atração de empresas aos municípios de Mossoró, Macau, Guamaré e Porto do Mangue, na Costa Branca, para aproveitamento de recursos naturais da região, como sal, minérios e petróleo, na produção de insumos usados em várias indústrias.

Segundo o governo do estado, o polo foi idealizada pelo economista e o consultor do Conselho Regional de Economia, Carlos Alberto Duarte Gomes, que fez uma apresentação sobre o assunto, ao governo, nesta quarta-feira (14).

Durante a reunião, a governadora Fátima Bezerra (PT) determinou a criação do grupo de trabalho, que será coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), para discutir a proposta de implantação.

O projeto também aponta a necessita de uma alternativa de linha ferroviária para transporte de cargas, acessando os municípios de Areia Branca, Mossoró, Assu, Jucurutu (jazidas de minério de ferro), Afonso Bezerra, Macau, Guamaré, Natal e São Gonçalo do Amarante, e tendo como atracador o Porto do Mangue.

O grupo de trabalho será formado pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado, prefeitos e secretários dos municípios, representantes da Federação das Indústrias do RN (Fiern), além dos idealizadores da proposta e possíveis investidores.

Insumos

Segundo o estudo inicial, o polo poderia usar sal, água-mãe, petróleo e outros minérios da região potiguar para produzir soda-cloro, ácido clorídrico, cloreto de vinila (PVC e CPVC), hipoclorito de sódio, cloropropeno (borracha Neoprene), cloroetanol (poliéster, acrilonitrila), cloropropanol, dicloroetano, hipoclorito de cálcio, percloroetileno, tricoloetileno, cloreto de alumínio e dióxido de cloro.

Ainda de acordo com os idealizadores, esses Insumos são usados em diversos setores da indústria, na produção de cerveja, xarope de milho, refino de açúcar, smartfones, fibra ótica, baterias, estabilizadores para plásticos, aceleradores de borracha, equipamentos médicos, tubulação, acessórios sanitários, isolamento elétrico, desinfetantes, mangueiras, entre outros produtos.

No ato de apresentação da proposta a governadora esteve acompanhada também do vice-governador Antenor Roberto, Lucas Fanundes, assessor parlamentar, representante do senador Jean Paul; do secretário de Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado; o secretário adjunto da Sedec, Silvio Torquato; da presidente da Potigás, Larissa Dantas, Diretor-geral do Idema, Leon Aguiar, assessora de Governança da Potigás, Samanda Alves, coordenador de Desenvolvimento Energético da Sedec, Hugo Fonseca. Também participaram o deputado estadual Souza Neto, prefeitos de Guamaré, Eudes Fonseca, Porto do Mangue, Antonio Faustino, de Macau, José Antônio de Menezes, a vereadora de Mossoró, Marleide Cunha; Vilmar Pereira, presidente da Associação Comercial e Industrial de Mossoró (Acim) e vice-presidente da Fiern, Maria Izabel Montenegro, vice-presidente da Acim, e o secretário de desenvolvimento econômico de Mossoró, Franklin Filgueira.

Visualizações: 57

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *