CPI investigará por que Brasil não comprou vacina da Pfizer em 2020, diz Aziz

Ministros se reúnem e prometem medidas contra transporte lotado na pandemia
abril 26, 2021
Lira diz que Congresso não é delegacia e que CPI da Covid neste momento é perda de tempo
abril 26, 2021

CPI investigará por que Brasil não comprou vacina da Pfizer em 2020, diz Aziz

Ouça a matéria aqui!

O senador Omar Aziz (PSD-AM), candidato a presidir a CPI da Covid, afirmou que um dos objetivos da comissão será entender por que o governo federal não negociou com a Pfizer, em agosto de 2020, a compra de 70 milhões de vacinas contra a Covid-19.

“Uma das grandes dúvidas é por que a gente não comprou a vacina da Pfizer, os 70 milhões de vacinas (…) Nessa última semana, muitas informações que não tínhamos surgiram através de entrevistas de pessoas que trabalharam no governo e serão também, com certeza, ouvidos e investigados”, afirmou, em entrevista.

Aziz se referia ao ex-secretário de Comunicação Fabio Wajngarten que, em entrevista à revista Veja na semana passada, afirmou que o Brasil não comprou antes vacinas da Pfizer por “incompetência” e “ineficiência” do Ministério da Saúde, à época comandado por Eduardo Pazuello.

Ele também afirmou acreditar que a CPI não será utilizada para politizar a questão da pandemia, algo que poderia ser até prejudicial para os senadores.

“Eu acredito e disse para os membros da CPI que aquele que tentar politizar será crucificado pela população brasileira. Nenhuma família enlutada, nenhum amigo que perdeu outro amigo nem os muitos órfãos que ficaram, vão aceitar que um de nós tente tirar proveito com a morte de quase 390 mil pessoas”, afirmou.

“Conversei com todos os 11 senadores titulares, disse que queremos fazer um CPI técnica. Chegamos a quase 390 mil mortos pela Covid e creio que nenhum brasileiro quer que a gente politize, que faça acusações políticas”, continuou. 

O senador previu, ainda, que o Brasil deve chegar a marca de 500 mil mortos pelo novo coronavírus durante os trabalhos da CPI da Covid, que será instalada na terça-feira (27) no Senado.

“O momento é de tentar amenizar o número de mortes no Brasil porque, infelizmente, pelo andar da carruagem, quando a CPI completar 60 dias de funcionamento chegaremos a quase 500 mil mortes”, disse Aziz.

Escolha de Renan Calheiros para relatoria

Ele também reiterou que, se for escolhido para a presidência, indicará o senador Renan Calheiros (MDB-AL) para a relatoria da CPI. O emedebista deverá apresentar um cronograma de trabalho levando em conta também as sugestões dos outros membros da comissão.

“Acho que eu serei eleito como presidente e indicarei o relator do MDB, maior bancada. O senador Eduardo Braga (MDB-AM) abriu mão de ser o relator, então tem o senador Renan Calheiros. E é dessa forma que eu vou conduzir o primeiro dia de trabalho.”

Visualizações: 44

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *