Documento mostra que PF fez “diligências e pesquisas” contra Apib e Sonia Guajajara antes de intimação

RN recebe doses da Coronavac e aguarda chegada de 101 mil vacinas neste domingo
maio 2, 2021
Médico pede socorro ao ser detido por aglomeração em ato bolsonarista de Fortaleza
maio 2, 2021

Documento mostra que PF fez “diligências e pesquisas” contra Apib e Sonia Guajajara antes de intimação

Ouça a matéria aqui!

O inquérito policial aberto a pedido do presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marcelo Xavier, contra a líder indígena Sonia Guajajara, militante da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), mostra que a Polícia Federal fez “diligências e pesquisas” contra Sonia antes de intimá-la nesta sexta-feira (30).

O inquérito acusa a Apib e Guajajara de difamar o governo Bolsonaro com a websérie “Agora é a vez do maracá”. Lançada em 2020, a série denuncia as violações de direitos sofrida pelos povos originários no contexto da pandemia. Em ofício, Xavier pediu que a PF fizesse um “monitoramento” da série, alegando “possível cometimento de calúnia e difusão de fake news e estelionato”.

No dia 13 de abril, um agente da PF anexou ao inquérito um relatório que traz o endereço da sede da Apib, em Brasília, assim como resultado da pesquisa contra Sonia. Nada foi encontrado.

“Em pesquisas realizadas nos sistemas disponíveis ao DPF [Departamento de Polícia Federal] e na internet, não se verifica existência de registros de antecedentes criminais ou envolvimento com atividades delituosas de Sonia Bone de Souza Silva Santos”, diz o documento.

Nas redes, a militante Sonia Guajajara afirmou que a intimação é uma perseguição do governo federal. “A perseguição desse governo é inaceitável e absurda! Eles não nos calarão”, disse Guajajara.

Visualizações: 40

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *