Home Tecnologia5G Claro, Vivo e TIM garantem licenças para 5G e país ganha 4 novas operadoras; confira o que vai mudar

Claro, Vivo e TIM garantem licenças para 5G e país ganha 4 novas operadoras; confira o que vai mudar

Por AdrianoSantos
0 comentário 948 visualizações

Leilão conta com 15 propostas para compra de frequências divididas em blocos regionais e nacionais. A nova internet de banda larga vai permitir cirurgias à distância e a construção de “cidades inteligentes”

A operadora Claro arrematou nesta quinta-feira (4), durante o leilão do 5G, o lote B1 da faixa de frequência de 3,5 GHz, pelo valor de R$ 338 milhões. Esse bloco tem prestação nacional e compromisso de levar o 5G em municípios com mais de 30 mil habitantes. O ágio foi de 5,18%. O lote B2 da mesma faixa de frequência teve como vencedora a Vivo, pelo valor de R$ 420 milhões, com ágio de 30,69%. O lote B3 ficou com a TIM pelo valor de R$ 351 milhões e ágio de 9,22%.

leilão do 5G começou com a venda da faixa de frequência de 700 MHz, que teve como vencedora do lote nacional a empresa Winity II Telecom, que desembolsou R$ 1,427 bilhões, com ágio de 805,84%. A empresa será uma nova operadora de serviço móvel.

Quem também passa a ser uma nova operadora no país é a Brisanet, que levou o lote C4 do Nordeste de 3,5 GHz pelo valor de R$ 1,25 bilhão e ágio de 13.741,71% e o lote C5 por R$ 105 milhões.

A terceira nova operadora do Brasil é o Consórcio 5G Sul, que arrematou o lote C6 (região Sul) por R$ 73,5 milhões. E a Cloud2U se tornou a quarta operadora após arrematar o lote C07 (estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais) por R$ 405,1 milhões.

O leilão está agora nos lotes do tipo F, que, ao serem finalizados, será encerrado o certame por hoje, que continua nesta sexta-feira (5).

O leilão, que acontece no auditório da Anatel, em Brasília, continua com a análise das propostas de outras faixas de frequência, divididas em blocos nacionais e regionais. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) é a responsável pelo leilão.

As vencedoras do leilão terão a permissão para operar as faixas nas áreas englobadas pelo bloco, com implementação de tecnologia 5G. As faixas de 700 MHz e 2,3 GHz já são usadas para o 4G, que deve ser melhorado antes da implementação do 5G.

Já as faixas de 3,5 GHz e 26 GHz são consideradas “puras”, ou seja, seriam usadas apenas para o 5G.

O 5G é considerado a nova geração da internet, sendo associado a tecnologias como a internet das coisas, aparelhos e veículos autônomos e uso de realidade virtual.

A expectativa do governo é de que o leilão levante até R$ 49,7 bilhões se todos os lotes forem arrematados, com outorga de R$ 10,6 bilhões.

Lotes já leiloados

— Bloco de 10 MHz + 10 MHz na faixa 700 MHz (Primeiro lote):

A01 (nacional)  – Winitty II por R$ 1,427 bilhões

— Blocos de 80 MHz na faixa de 3,5 GHz.

B01 (nacional): Claro, por R$ 338 milhões

B02 (nacional): Vivo, por R$ 420 milhões

B03 (nacional): Tim, por R$ 351 milhões

C02 (região norte e São Paulo): Sercomtel, por R$ 82 milhões

C04 (Região Nordeste): Brisanet Serviços de Telecomunicações S.A, por R$: 1,250 bilhão

C05 (Região Centro Oeste): Brisanet Serviços de Telecomunicações S.A., por R$ 105 milhões

C06 (Região Sul): Consórcio 5G Sul, por R$ 73,6 milhões.

C07 (Estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais): Cloud2U Indústria e Comércio de Equipamentos Eletrônicos LTDA, por R$ 405,1 milhões.

C08 (setores 3,22,25 e 33): Algar Telecom S.A., por R$ 2,350 milhões.

— Blocos de 20 MHz na faixa de 3,5 GHz

D33 (nacional): Claro, por R$ 80,338 milhões

D34 (nacional): Tim, por R$ 80,337 milhões

D35 (nacional): Vivo/Telefonica, por R$ 80,337 milhões

— Blocos de 50 MHz na faixa de 2,3 GHz

E01 (Região Norte): Claro, por R$ 72 milhões

E03 (estado de São Paulo): Claro, por R$ 750 milhões

E04 (Região Nordeste): Brisanet, por R$ 111,3 milhões

E05 (Região Centro Oeste): Claro, por R$ 150 milhões

E06 (Região Sul): Claro, por R$ 210 milhões

E07 (estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais): Vivo/Telefônica, por R$ 176,4 milhões

E08 (Setores 3, 22, 25 e 33 do PGO): Claro SA, por R$ 32 milhões

— Blocos de 40 MHz na faixa de 2,3 GHz

F01 (Região Norte): Vivo/Telefônica, por R$ 20 milhões

F03 (estado de São Paulo): Vivo/Telefônica, por R$ 231 milhões

F04 (Região Nordeste): sem propostas de preços apresentada

F06 (Região Sul): Tim, por R$ 94,5 milhões

F07 (estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais): Tim, por R$ 450 milhões

O que é 5G?

É a nova etapa da internet de banda larga sem fio e que tem como promessa de dobrar as potencialidades que nós já conhecemos com o 4G.

Para se ter uma ideia: atualmente a velocidade da internet, em média, é de 22 Mbps. Com o 5G há uma estimativa de que essa velocidade aumente entre 50 e 100 vezes, podendo alcançar até 10 Gbps.

Na prática isso significa que o seu o filme em alta qualidade não ficará travando e carregando toda hora e que os downloads de arquivos pesados serão mais rápidos.

O que muda com o 5G?

Além da velocidade da internet, o 5G também vai trazer mudanças estruturais na foram de instalação, no custo e na comunicação por rede entre máquinas.

Alguns pontos que são destacados: as redes 5G devem consumir até 90% menos de energia do que as redes atuais;

A conexão entre os aparelhos móveis deve ser inferior a 5 milissegundos (ms), atualmente esse tempo é de 40 ms.

A duração da bateria dos aparelhos móveis deve aumentar consideravelmente.

Além disso, a internet 5G deve trazer uma nova etapa naquilo que é chamado de “internet das coisas”, isso porque vai possibilidade o número de celulares conectados por área, que deve chegar a 100 vezes maior do que o atual.

A partir disso, a conexão entre os mobiles com sistema de iluminação pública, centrais de segurança, guichês de supermercados, sensores meteorológicos entre outros dispositivos, poderão se interconectar e, como resultado novas inteligências artificiais poderão ser utilizadas em residências, ruas, comércios etc.

Outro exemplo da transformação que será proporcionada pelo 5G é que cirurgias de alta complexidade poderão ser realizadas por robôs.

Além disso, o 5G vai permitir em uma transformação das cidades, naquilo que é chamado de “cidades inteligentes” e que até hoje só como protótipos.

Como vai funcionar o 5G?

A rede 5G funciona por meio de ondas de rádio e o seu espectro de cobertura móvel é maior que os anteriores e espalhando-se entre 600 e 700 Mhz, 26 e 28 Ghz e 38 e 42 Ghz.

O 4G vai deixar de funcionar?

Não, por um período o 4G e o 4G vão coexistir. Até porque, a previsão para que o 5G funcione em sua plenitude é 2025.

Vai ser mais caro o 5G?

Os sites especializados em tecnologia afirmam que a primeira geração de aparelhos celulares programados para a tecnologia 5G devem sim ser mais caros, mas acreditam que, ao longo do tempo o custo será equilibrado, assim como ocorreu com o 4G.

Quando estará disponível no Brasil?

Com a realização do leilão das frequências realizados agora, a expectativa é que no primeiro semestre de 2022 o 5G já esteja disponível ao público brasileiro.

Primeiro serão só celulares que poderão usufruir da tecnologia. Posteriormente, serão objetos domésticos etc.

Related Articles

Deixe um comentário