Home Política2022 As estratégias do PT para tentar garantir eleição de Lula já no 1º turno

As estratégias do PT para tentar garantir eleição de Lula já no 1º turno

Por AdrianoSantos
0 comentário 48 visualizações

Combate a Bolsonaro, às fake News, viagens pelo País, ampla aliança e resgate do legado petista são principais estratégias do partido para eleger o ex-presidente ainda na primeira etapa da disputa

Com o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) em crise e batendo recordes de desaprovação, o Partido dos Trabalhadores deposita no seu principal expoente, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, as esperanças de retornar ao Executivo. E mais: vencer já no 1º turno. Para tanto, é necessário superar o clima antipetista que ainda tem força no País, pensar em estratégias para lidar com informações fraudulentas distribuídas na internet, e lidar com a ideia da “terceira via”, aposta que tem sido feita por grupos que não querem ser vinculados nem ao PT de Lula nem a Bolsonaro.

Em entrevista ao Jogo Político da última terça-feira, 21, o deputado José Guimarães (PT) adiantou que o objetivo da agremiação é conseguir a vitória de Lula ainda em primeiro turno, estando o Ceará entre as prioridades na agenda petista. Ao mesmo tempo, o parlamentar fala que ainda está cedo para falar em campanha política de 2022. Mas adianta que o foco agora é derrotar Bolsonaro e aprimorar a legislação para garantir uma eleição “livre, limpa da rede de ilegalidades que ocorreu em 2018”.

O parlamentar também comenta a possível resistência ao petismo de Lula e garante que o “antipetismo está fora de moda”, baseando-se nas pesquisas que colocam o ex-presidente à frente em todos os cenários políticos da corrida presidencial.

A pesquisa IPEC, por exemplo, divulgada nesta quinta-feira, 23, mostra o ex-presidente Lula (PT) liderando todos os possíveis cenários políticos na disputa presidencial de 2022. Com 48% das intenções de voto, o petista está com mais de 20 pontos percentuais à frente do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que aparece com 23% das intenções. Se a eleição fosse realizada hoje, tudo leva a crer que Lula venceria ainda em primeiro turno, como é desejado pelo partido.

A vereadora Larissa Gaspar (PT) vai por outro caminho e diz que a resposta do PT ao bolsonarismo e antipetismo será o diálogo. Dessa forma, deve ser retomada a Caravana da Esperança, com o presidenciável percorrendo todos os estados do país. O principal trunfo do partido e do ex-presidente, indica Gaspar, é o próprio legado dos governos petistas, como a criação do Programa Bolsa Família, O Minha Casa Minha Vida, o reconhecimento internacional aos mandatos, dentre outros aspectos. Além disso, ela explica que a péssima administração de Bolsonaro dá ainda mais espaço para a campanha petista.

“O legado do PT para o país é inquestionável e esse é o nosso trunfo. Já Bolsonaro administra tão pessimamente que se tem uma quantidade de desgraça para mostrar”, afirma a vereadora que pretende disputar vaga para a Assembleia Legislativa do Ceará em 2022.

Gaspar e Guimarães comentam a proposta de uma possível “terceira via”, candidatura com partidos de centro que tentaria angariar o eleitorado que não quer mais Bolsonaro e tampouco vota em Lula.

O parlamentar ainda vê o movimento como escasso de ideias e de nomes, já a vereadora argumenta que o próprio ex-presidente já constitui essa figura que busca em terceiros.

“A candidatura do Lula é a terceira via, é a única alternativa certa”, defende Gaspar.

Para Antonio Filho, o Conin, presidente do PT estadual, é preciso evitar a postura de “já ganhou”, mesmo com os resultados das pesquisas. A busca, segundo ele, é por formação de uma aliança ampla pelo país, entre forças democráticas, para combater ideias fascistas.

Conin relaciona o movimento antipetista ao uso de fake News, e diz que a ideia passa longe da maioria do eleitorado cearense. Ele usa como exemplo a aprovação do governo Camilo Santana (PT) no estado e lembra que outra meta do partido no estado é elegê-lo ao Senado.

“No Ceará, o petismo é muito mais forte do que o chamado antipetismo, basta ver a aprovação do governador Camilo Santana do PT, cujas intenções de voto para o Senado na pesquisa Paraná o apontam com mais de 60% da preferência do eleitorado. O tal antipetismo tem se apresentado mais na forma de fake news, muito restrito a setores extremistas”, disse.

Para lidar com a propagação de informações falsas, o partido criou o “Chega de mentiras”, um canal de comunicação interno, onde militantes, dirigentes e figuras do PT podem denunciar notícias fraudulentas que estejam circulando na rede, para que possam ser tomadas as “medidas judiciais cabíveis”.

Related Articles

Deixe um comentário