“Canalha do governo”: Natália Bonavides detona Fabio Faria após ministro minimizar mortes por Covid-19

RN: Covid-19 separa idosa de 103 anos do marido pela primeira vez em 60 anos de casados
22 de junho de 2021
Arrecadação do RN dispara, atinge 27% e é a segunda maior do Brasil
22 de junho de 2021

“Canalha do governo”: Natália Bonavides detona Fabio Faria após ministro minimizar mortes por Covid-19

Ouça a matéria aqui!

O ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD), causou polêmica ao minimizar as mortes causadas pela Covid-19 no Brasil. O potiguar publicou que políticos, artistas e jornalistas adotam tom de “quanto pior, melhor” para lamentar as mortes por Covid-19 no Brasil. A declaração foi dada no dia em que o País atingiu a marca de 500 mil mortos pela doença.

“Em breve vocês verão políticos, artistas e jornalistas ‘lamentando’ o número de 500 mil mortos. Nunca os verões comemorar os 86 milhões de doses aplicadas ou os 18 milhões de curados, porque o tom é sempre o do ‘quanto pior, melhor’.  Infelizmente, eles torcem pelo vírus”, publicou o ministro no último sábado 19.

Além de dessagrar parte da opinião pública, que se manifestou nas redes sociais, parlamentares pelo Rio Grande do Norte não mediram palavras e responderam ao político casado com Patrícia Abravanel, filha de Silvio Santos. Um deles foi a deputada federal Natália Bonavides (PT), que classificou Faria como “cúmplice do genocídio”. “Meio milhão de mortos e o ministro da Comunicação tá reclamado de quem acha ruim. É um cúmplice do genocídio. Da ala canalha do governo”, postou no Twitter.

A declaração da petista foi dada no dia em que ela participou dos protestos contra a atuação do governo Bolsonaro no combate da pandemia e na cobrança por mais vacinas. O ato ocorreu em todas as capitais brasileiras. “Se um povo vai às ruas numa pandemia é porque o governo é mais perigoso que o vírus. Fora Bolsonaro”, compartilhou a frase que legendou uma foto, na qual aparece vestida com a camisa do partido do ex-presidente Lula (PT).

O presidente da República também entrou na rota de críticas da deputada. Para ela, “Bolsonaro é herança de quem jogou pra debaixo do tapete o que deveria ter ido pro lixo da história”, e completa que “a tarefa de desfazer esse erro é nossa, ninguém resolverá por nós”.

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), por sua vez, também lamentou os meio milhão de óbitos pela Covid-19 e prestou solidariedade aos amigos e familiares das vítimas. A gestora estadual, que busca a reeleição em 2022, comentou que o número é “assustador”, pois “são vidas” ceifadas pelo vírus descoberto em Wuhan, na China, em 2019.

Mais contaminados, mais curados

O ministro Faria tenta comparar o número de mortes com a quantidade de recuperados na pandemia da Covid-19. A tragédia sempre é medida pela quantidade de pessoas que morrem, já que o normal é as pessoas estarem vivas. Além disso, se há um grande número de recuperados, é porque muitos se contaminaram, apesar da ciência disponibilizar protocolos sanitárias e medidas restritivas de prevenção à contaminação.

Nesse contexto, aliás, a fala de Faria gerou memes nas redes sociais. Um deles mostrava um piloto de avião avisando à tripulação e aos passageiros que o avião ia cair. Um passageiro, então, o questiona: “Tá. Mas você não vai falar dos que continuam voando?”

Visualizações: 79

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *