1º de Maio: Enquanto sindicatos pedem vacina, bolsonaristas pregam intervenção

Médico pede socorro ao ser detido por aglomeração em ato bolsonarista de Fortaleza
maio 2, 2021
“País está sendo devastado pelo ódio e incompetência”, diz Lula em ato do 1º de maio
maio 2, 2021

1º de Maio: Enquanto sindicatos pedem vacina, bolsonaristas pregam intervenção

Ouça a matéria aqui!

Em razão do 1º de Maio, dia do trabalhador, sindicatos e centrais fizeram atos pontuais neste sábado (1º) em algumas capitais brasileiras pedindo o retorno do auxílio emergencial de R$ 600, a vacinação em massa e #ForaBolsonaro, além de promoveram uma superlive com diversas lideranças sociais e políticas e artistas. Por outro lado, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro se mobilizaram em protestos em defesa do mandatário, pedido uma intervenção militar e fazendo ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF).

As centrais concentram sua mobilização na live do 1º de maio, que volta a reunir CUT, Força Sindical, UGT, CTB, NCST, CSB, Intersindical, Pública e CGTB em um mesmo ato. O lema da mobilização é “1º de Maio Pela Vida, Democracia, Emprego, Vacina para todos e pelo Auxílio Emergencial de R$ 600”.

Já os bolsonaristas, decidiram ir para as ruas. Diante do fracasso em diversas capitais, chamou a atenção o contingente reunido na Avenida Paulista. Sem nenhum distanciamento social e com muitos participantes e máscara de proteção, o grupo se mobilizou em defesa de uma intervenção de Bolsonaro contra o STF.

Para “dar um sinal” ao presidente, os bolsonaristas gritavam “Eu autorizo”.

Em Curitiba, a mobilização bolsonarista reuniu um contingente bem reduzido. Imagens registradas pelo fotojornalista Eduardo Matysiak mostra menos de 10 pessoas na mobilização. O ato das centrais, por outro lado, trouxe algumas lideranças e mobilizou uma carreata pelas ruas da capital paranaese.

No Rio de Janeiro, houve confusão promovida por bolsonaristas que se recusavam a usar máscaras dentro do metrô, expondo outros passageiros ao risco. O ato convocado para Copacabana também teve o grito de “Eu Autorizo”.

Enquanto isso, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação da UFRJ (Sintufrj) e a Associação de Docentes da UFRJ (Adufrj-SSind) realizaram um ato itinerante percorrendo toda a capital carioca com um telão de LED exibindo o vídeo da campanha “Vacina no Braço, Comida no Prato! Fora Bolsonaro!”.

Visualizações: 21

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *